Notícias

Biden cita incêndios na Amazônia em 1º debate com Trump

Postado às 05h39 | 30 Sep 2020

Poder 360

O candidato republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden fizeram nesta 3ª feira (29.set.2020) o 1º debate para as eleições presidenciais dos Estados Unidos. Durante o encontro, o ex-vice-presidente citou o Brasil e a escalada das queimadas na Amazônia.

“As florestas tropicais do Brasil estão sendo destruídas. Mais carbono é absorvido naquela floresta do que é emitido pelos Estados Unidos. Vou garantir que vários países se juntem e digam [ao Brasil]: ‘Aqui estão US$ 20 bilhões. Parem de destruir a floresta'”, disse o candidato da oposição. O democrata declarou ainda que pode impor sanções ao Brasil caso o problema não seja sanado.

“E se vocês [Brasil] não pararem (de destruir a floresta), então vocês sofrerão significativas consequências econômicas”, continuou Biden.

Trump, por outro lado, não citou os incêndios no bioma. Em vez disso, ele elogiou o progresso dos Estados Unidos em relação à redução da emissão de carbono. Segundo ele, o país atingiu os níveis mínimos históricos.

Eis os principais pontos do debate:

Indicação à Suprema Corte

O 1º tópico foi sobre a indicação de Amy Coney Barrett à Suprema Corte. A nomeação é questionada por Biden e os democratas por ter ocorrido a pouco mais de 1 mês das eleições. Para o ex-vice-presidente, a indicação deveria ser feita depois dos norte-americanos escolherem o presidente.

Trump, contudo, afirmou que foi eleito para 4 anos, e não 3. Por isso, ainda tem o direito de decidir a substituta da juíza Ruth Bader Ginsburg, morta em 18 de setembro.

Dentro desse bloco, o Obamacare virou pauta. Segundo Biden, Barrett é uma aposta de Trump para acabar com o programa, que deixaria “mais de 200 milhões pessoas sem o plano de saúde” que cobre procedimentos a que tem doenças pré-existentes.

“Obamacare não é bom. Nós tornaremos melhor”, disse Trump, que apresentou na semana passada 1 programa substituto que seria mais barato.

“Ele não tem 1 plano, ele não sabe o que está falando”, rebateu Biden.

Pandemia da covid-19

Biden começou dizendo que Trump escondeu dos norte-americanos sobre os perigos do coronavírus em fevereiro, quando deu entrevista ao jornalista Bob Woodward.

“É o que é porque você é o que é”, declarou o democrata sobre a situação do país em relação à pandemia, que infectou mais de 7 milhões e matou 200 mil, maiores cifras no mundo. “Ele só espera, não tem plano”, completou.

O democrata disse ainda que Trump deveria trabalhar para arranjar uma maneira de prover dinheiro para manter os negócios abertos e escolas funcionando. “Você deve sair do campo de golfe e ir para sua sala decidir o que pode salvar vidas”, afirmou Biden

“Quantos de vocês estão com uma cadeira vazia na sala porque perderam um parente para a covid? Quantos perderam pai ou mãe e não conseguiram fazer uma ligação para enfermeiros para se despedir?”, questionou Biden.

“Se fosse por você, milhões teriam morrido [nos EUA], respondeu Trump.

O republicano negou que seu trabalho combatendo à pandemia seja ruim. Citou a produção de máscaras e ventiladores e o rápido desenvolvimento de vacinas. “Você nunca poderia ter feito isso”, disse a Biden.

Disse ainda que, apesar do número de casos e mortes nos EUA ser alto, nem ele nem Biden sabem quantos morreram na Índia, China e Rússia, pois os números seriam imprecisos.

Biden voltou a dizer que Trump não nenhum plano. “Esse é o mesmo homem que disse que na Páscoa tudo teria passado”, declarou o democrata. Criticou também o fato de o presidente não se encontrar com a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e o líder da minoria no Senado, Chuck Schumer, para debater auxílios e a reabertura coordenada da economia.

Trump foi questionado pelo moderador, o jornalista da Fox News Chris Wallace, sobre a vacina demorar meses ou até anos para trazer a normalidade pré-pandemia de volta. Lembrou ainda falas de membros do governo de que a distribuição em massa da vacina só será possível no verão (a partir de junho de 2021).

O mandatário explicou que eles estão sendo “políticos” quanto ao assunto. “Podemos term muito antes […] Eles [laboratórios] podem ser muito mais rápidos que isso”, declarou Trump.

Economia

“Nós construímos a maior economia do mundo, e fechamos por conta da vírus da China”, declarou Trump. “Ele quer fechar de novo. Quer destruir o nosso país. Tem pessoas que são viciadas em drogas e bebidas. O que acha que vai acontecer com eles?”, complementou.

Para Biden, o presidente “foca no marketing” e não nas famílias pobres que precisam de auxílio. “Será o 1º presidente dos EUA a deixar a presidência com menos empregos do que quando entrou”, disse o ex-vice-presidente.

“O meu plano econômico criaria 7 milhões de empregos a mais do que ele conseguiu nos 4 anos”, afirmou Biden, que prometeu ainda reduzir os impostos.

Sobre impostos, Trump foi perguntado sobre a reportagem do New York Times que divulgou dados de suas declarações de imposto de renda das últimas duas décadas. Revelou que ele pagou só US$ 750 tanto em 2016 quanto em 2017. Trump negou: “Eu paguei milhões de dólares em impostos”.

“O fato dele pagar menos impostos que uma professora escolar é porque ele ganha vantagem nas regras de impostos”, disse Biden.

Racismo e violência em protestos

Biden criticou fortemente a atuação de Trump frente aos protestos antirracistas que emergiram nos EUA desde a morte de George Floyd. “Esse homem não fiz virtualmente nada. O que ele fez foi 1 desastre para a comunidade afro-americana”, declarou o ex-senador.

“Há uma injustiça sistêmica nesse país”, afirmou Biden.

O candidato democrata também disse que o certo seria reunir representantes dos diretos civis, das forças de segurança e dos movimentos sociais para conversar na Casa Branca.

Na visão de Trump, há uma “revolução radical” em diversos setores do país. Disse que as pessoas estão ensinando aos norte-americanos “ideias doentes” e vendendo a narrativa de que os EUA são uma nação “horrível e racista”.

Trump declarou-se como o melhor republicano nas intenções de votos entre a população afro-americana. Atribuiu a isso uma fala de Biden em 1996 chamando os negros de “predadores”“Eles viram o que você falou”, afirmou o chefe do Executivo federal.

Sobre os episódios de violência, Trump afirmou que o FBI poderia resolver o problema caso fosse solicitado. Lembrou a situação em Portland, 1 dos principais palcos das manifestações. “A gente poderia resolver o problema em Portland em instantes, mas eles não vão nos chamar porque são comandados por democratas radicais de esquerda”, disse o presidente.

“É 1 problema partidário”, completou, citando as cidades de Chicago e Nova York –comandadas por democratas– como alvo de violência crescente. “Se ele [Biden] for eleito e fizer o que planeja, nossos subúrbios estarão perdidos”, finalizou.

Integridade das eleições

Primeiramente, Joe Biden assegurou que não há evidências de manipulação e desvio de cédulas de votos por correio. Além disso, negou que vá desmotivar eleitores a votar presencialmente. “Se conseguimos os votos, ele [Trump] vai embora […] Você quer mudar ou quer mais 4 anos dessa mentira?”, declarou Biden.

O ex-vice-presidente lembrou que os votos não presenciais são adotados há décadas nos EUA e nunca teve problema. Ele falou que as pessoas são consultadas para confirmar o voto e isso é “o suficiente e totalmente legítimo”.

No extremo oposto, Trump classificou o sistema de votação por correio como “desastroso” e “fraudulento”. Disse que pode haver nomes falsos, cédulas invalidadas e retornadas e envios não-solicitados. Falou até que no Estado de West Virginia, houve casos de cédulas “vendidas ou jogadas no rio”.

Questionado se conta com a indicação de Barrett e os demais juízes da Suprema Corte para julgar possíveis problemas, a resposta do republicano foi afirmativa, apesar de esperar que não precise.

“Não vai ter transição, eu vou ganhar essas eleições”, voltou a declarar Trump. Por outro lado, Biden disse que aceitará o resultado ganhando ou perdendo o pleito.

O que disseram os sites dos EUA:

  • Axios: “O debate ilustrou a situação do país. Todos falam ao mesmo tempo e ninguém escuta. Nada foi aprendido. Uma bagunça.”

  • The Hill: “Biden chama Trump de ‘mentiroso’ e ‘palhaço’ durante debate.”

  • Washington Post: “1º debate presidencial é marcado pelas constantes interrupções de Trump.”

  • Wall Street Journal: “Interrupções recíprocas entre candidatos é marcada mais pelo rancor do que pelas propostas políticas.”

  • New York Times: “Ataques pessoais e xingamentos marcam caótico 1º debate presidencial.”

Deixe sua Opinião