Notícias

Ciência rejeita terceira dose da vacina

Postado às 09h32 | 14 Sep 2021

Estudo científico divulgado ontem, 13, pela conceituada revista médica “The Lancet” rejeita doses de reforço das vacinas contra a vacina Covid 19 na fase atual, dada a alta eficácia dos imunizantes na prevenção de casos graves da enfermidade.

O estudo mostra também que, mesmo em populações com alta cobertura, a minoria não vacinada ainda é a principal causa de transmissão do vírus s e apresenta maior risco de casos graves de Covid-19.

Mesmo que algum ganho possa ser obtido com o reforço, isso não superará os benefícios de fornecer proteção inicial aos não vacinados. Se as vacinas forem implantadas onde fariam mais bem, elas poderiam acelerar o fim da pandemia, inibindo a evolução das possíveis variantes”, explica Ana-Maria Henao-Restrepo, pesquisadora que liderou o estudo, em comunicado.

Entre os autores, estão especialistas do mundo todo, incluindo da OMS e da agência reguladora Food and Drug Administration (FDA),a Anvisa dos Estados Unidos.

Embora as vacinas sejam menos eficazes contra casos assintomáticos, a revisão mostrou que elas apresentaram 95% de eficácia contra formas graves de Covid-19, considerando tanto a variante Delta (B.1.617.2) quanto a Alfa (B.1.1.7). Além disso, a efetividade geral, levando em conta qualquer tipo de infecção pelas duas cepas, foi de 80%.

Mesmo não havendo indícios de que os reforços sejam necessários no momento, os cientistas acreditam que aqueles desenvolvidos para combater as cepas novas talvez possam ser mais eficazes e duradouros do que os com base nos atuais imunizantes.

O novo artigo na “Lancet” avaliza a posição da OMS, que pondera acerca da necessidade da terceira dose.

OLHO ABERTO

Troca – O senador David Alcolumbre, que presidiu o senado, trabalha nos bastidores para inviabilizar a indicação de André Mendonça para a vaga do STF. Ele força a indicação de Augusto Aras, atual Procurador da República.

PT – Com a recusa de participar das manifestações do último domingo, numa linha de união das oposições, o PT deixou claro que não aceitará alternativa que não seja a união em torno de sua liderança e da campanha de Lula

Impeachment - O presidente da Câmara, Arthur Lira, no seu pronunciamento público, não falou em impeachment. Mas disse ao presidente que, naquela situação, não sabia até quando conseguiria manter na gaveta os mais de 130 pedidos recebidos.

Temer – Há quem admita, que o papel de “pacificador” exercido por Michel Temer, tem o objetivo de viabilizá-lo como a alternativa da terceira via à presidência da República.

STF – Propaga-se, que na intimidade, Bolsonaro diz que dos dez ministros do STF só três se salvam: Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Nunes Marques. 

Perigo- Em 2050 poderá haver mais plástico do que peixe no mar. Um alerta impossível de ignorar. A poluição marítima, causada por detritos plásticos, afeta os ecossistemas marinhos, o turismo e a saúde humana. O mar cobre a maior parte da sua superfície (cerca de 70%). Por essas razões, a ONU tem se preocupado com os oceanos.

Lula – O ex-presidente anuncia que irá se casar com namorada a “Janja”, que ele chama de “Janjinha”. Se ele for eleito, o Brasil terá a “Dona Janja” como primeira-dama.

Aviação - A Air France e KLM anunciaram perdas de 7,1 bilhões de euros em 2020, um resultado "sem precedentes”. A pandemia privou o grupo de dois terços dos clientes.

Comércio- A ONU prevê que o comércio global irá desacelerar em 2021, sendo 1,5% no comércio de bens e 7% no comércio de serviços, sobretudo pacotes de viagens.   Os “lockdowns” já fizeram o comércio despencar 15%, em meados de 2020.

Combustíveis - A procura mundial de petróleo deverá continuar a aumentar até ao final do ano, apesar de se antever uma ligeira desaceleração do ritmo de crescimento a partir de outubro. É o anuncio de que os preços não cairão.

 

Deixe sua Opinião